numa festa de música eletrônica sujeitos buscam se projetar para fora de suas consciências. Em meio à intensidade dos movimentos, os artistas usam a luz da própria festa para construir retratos desses personagens. chegam a uma espécie de fotografia de identidade adulterada pelo próprio ambiente.

 

trabalho realizado em parceria com vinicius assencio (pangeia de dois), durante a residência LABMIS

MIS museu da imagem e do som

são paulo, 2014